segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Lula diz estar 'irritado' com acusações sobre a família na Lava Jato

São Paulo, SP, BRASIL- 24-10-2015: Cercado por seguranças e integrantes do MST, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da SIlva, visitou a Feira Nacional da Reforma Agrária. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress) *** PODER *** EXCLUSIVO FOLHA***

Em reunião com a direção nacional do MST (Movimento dos Sem Terra) neste sábado (24), Lula disse que está muito "irritado" com a citação de seus familiares na Operação Lava Jato.

"Ele falou que está muito irritado porque são inverdades. Citam nomes de familiares dele sem provas. Além de defender o PT, tem que defender a família", disse João Paulo Rodrigues, da coordenação nacional do MST.

O ex-presidente Lula chegou direto de uma viagem à Bahia para a 1° Feira Nacional da Reforma Agrária no Parque da Água Branca, na capital paulista.

Questionado sobre as denúncias feitas no âmbito da Operação Lava Jato envolvendo o empresário e seu amigo pessoal José Carlos Bumlai, Lula desconversou.

"Hoje é sábado, eu sou muçulmano e sábado eu não falo de política", disse o ex-presidente, confundindo-se com os judeus, que não trabalham no shabat, que vai do pôr do sol de sexta ao anoitecer de sábado.

Fernando Soares, o Baiano, disse em seu acordo de delação premiada homologado há três semanas que Lula se reuniu com Bumlai e o presidente da Sete Brasil por contratos de navios-sonda.

Ele também afirmou que, após as reuniões, pagou R$ 2 milhões a Bumlai. Segundo Baiano, o empresário disse, na época, que o dinheiro seria para quitar a dívida de um apartamento de uma nora do ex-presidente.

Tanto o petista quanto o pecuarista negam peremptoriamente as acusações.

Como o Jornal a Folha de São Paulo publicou nesta sexta passada, Bumlai afirma que os recursos que recebeu do lobista foram um empréstimo para pagar empregados de suas fazendas.

REUNIÃO COM MST

A direção do MST aproveitou a conversa com Lula para mandar recados para a presidente Dilma Rousseff.

Eles pediram mais incentivo para a área de agroecologia, mais atenção ao programa Terra Forte e também para os programas que obrigam as prefeituras a comprar alimentos da agricultura familiar.

O grupo entregará a Lula uma pauta que será apresentada à Dilma na próxima semana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário