segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Hospital Oncológico Infantil é entregue ao Estado nesta segunda


Na data em que é comemorado em todo o país o “Dia das Crianças”, 12 de outubro, o Pará vai celebrar a entrega do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém. Este será o primeiro hospital público da Amazônia especializado no tratamento de câncer para crianças e jovens até 19 anos. A inauguração ocorreu nesta manhã e teve a presença do governador Simão Jatene.
Construído pelo Governo do Estado, anexo ao Hospital Ophir Loyola, o novo centro médico tem 108 leitos, sendo dez de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), divididos em cinco andares, onde estão distribuídas as áreas de quimioterapia, centro cirúrgico, centro de terapia intensiva, clínicas pediátrica e de ginecologia, além de ambientes destinados especialmente às crianças, como biblioteca, brinquedoteca e um solário. A decoração foi feita com desenhos que as crianças internadas no Ophir Loyola produzem durante oficinas.
Com a estrutura física pronta e entregue, o hospital passa agora pela etapa de desinfecção, além de instalação e configuração dos equipamentos e treinamento da equipe. A previsão é que o início do atendimento à população seja em meados de novembro.
O Hospital Oncológico Infantil oferece assistência especializada e humanitária, assim como tecnologias e metodologias avançadas por meio de mão de obra multidisciplinar treinada e qualificada. O Hospital terá capacidade mensal para 378 internações e 1320 consultas, oferta de serviços como oncologia infantil, cirurgia oncológica infantil, neurocirugia infantil, quimioterapia infantil por faixa etária, ambulatório de triagem com apartamentos por faixa etária, imagenologia e ultrassonografia.
O ambulatório de triagem será fundamental para acelerar o processo de diagnóstico inicial do paciente. O atendimento será encaminhado por intermédio da regulação para que os casos suspeitos de câncer sejam investigados. Caso a doença não seja identificada, o paciente será encaminhado para outras unidades de referência do Estado.
Com a entrega do Hospital Oncológico infantil, haverá a ainda ampliação da oferta de procedimentos aos pacientes com a criação de espaços com alto padrão de hotelaria hospitalar como solário, sala de ludoterapia (01), cinesioterapia/ mecanoterapia (01) e consultórios de reabilitação de fisioterapia (01), fonoaudiologia (02) e terapia ocupacional (02).
A maior parte dos serviços será dividida por faixa etária. A quimioterapia infantil, por exemplo, será ofertada em salas de zero a oito anos e de nove a 19 anos. Nessa área, funcionará ainda a internação por curta duração para zero a dois anos, três a oito anos, nove a 13 anos e 14 a 19 anos.
Além da ampliação de serviços para tratamento do câncer infantojuvenil, o Hospital Oncológico Infantil também vai ampliar outros serviços já oferecidos no Ophir Loyola, como mastologia (60%), oncologia ginecológica (60%) e ainda o aumento de 44 leitos distribuídos nas clínicas de cabeça e pescoço, cirurgia geral, oncologia e mastologia.
Ao oferecer um espaço exclusivo para o tratamento do câncer infantojuvenil, o novo Hospital Oncológico Infantil representa um salto importantíssimo na qualidade do atendimento médico nos hospitais públicos do Estado. “Com este hospital, nós vamos diminuir a pressão do atendimento que já ocorre no Ophir Loyola, vamos dar melhores condições de acomodação aos pacientes e expandir os serviços”, destacou o secretário de Saúde Pública, Vitor Mateus.
Governo expande investimentos em saúde
O novo Hospital Oncológico Infantil representa um investimento da ordem de R$ 80 milhões, entre obras e equipamentos. A unidade começou a ser construída no primeiro mandato do governador Simão Jatene, que, à época, deu início ao projeto de descentralização dos serviços de saúde no Estado com a construção de cinco hospitais regionais: em Santarém, Marabá, Altamira, Redenção e o Metropolitano, em Ananindeua.
No segundo mandato (2011-2014), Simão Jatene ampliou os investimentos na área da saúde e expandiu a rede hospitalar com a inauguração de quatro novos hospitais: o Jean Bitar, o Galileu, a Nova Santa Casa, em Belém, e ainda o Hospital Regional do Leste, em Paragominas, além de retomar com mais agilidade as obras do Oncológico Infantil. Também estão em andamento outras grandes obras da área de saúde, como o Regional de Itaituba e o de Castanhal, e a requalificação de hospitais municipais, como o de Abaetetuba e de Ipixuna do Pará, por exemplo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário