quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Pará avança na emissão de Cadastros Ambientais Rurais

O Pará é o segundo estado brasileiro que mais avançou no Cadastro Ambiental Rural (CAR), perdendo apenas para Rondônia. Os números foram apresentados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), durante encontro em Brasília, na semana passada, que reuniu secretários estaduais de agricultura e de meio ambiente de todo o país.
Durante a reunião, o secretário de Desenvolvimento Agropecuário e de Pesca, Hildegardo Nunes, pediu à ministra da Agricultura, Kátia Abreu, que o governo federal tome algumas medidas para agilizar ainda mais o trabalho no Estado. “Precisamos que o Incra agilize o CAR nos assentamento rurais. Além disso, precisamos de apoio para a emissão do CAR para agricultores familiares”, afirmou Hildegardo.
Cerca de 140 mil cadastros ambientais rurais já foram emitidos em todo o Estado do Pará, o que corresponde a 36 milhões de hectares de um total estimado de 58 milhões que precisam ser cadastrados. O cadastro auxilia no processo de regularização ambiental das propriedades rurais, gerando informações georrefereciadas do imóvel para fins de planejamento ambiental, definição de áreas de gradadas a serem recuperadas, além de fomentar a formação de corredores ecológicos e a conservação dos demais recursos naturais.
No encontro com a ministra Kátia Abreu, Hildegardo Nunes também apresentou outras demandas do governo do Estado. O secretário de Desenvolvimento Agropecuário pediu a liberação dos equipamentos do Laboratório de Qualidade do Leite, a ser implantado no Parque Tecnológico do Guamá, em Belém, e o apoio do governo federal para a realização do Zoneamento Agrícola e de Risco Climático no Pará.
“Também solicitamos à ministra que intervenha junto ao governo federal para a fixação de novas normas para garantia de crédito dentro do Programa de Agricultura de Baixo Carbono, em substituição às hipotecas e para intensificar o apoio dado às superintendências da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) e da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no Pará”, disse o secretário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário