sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Obras da ponte sobre o rio Igarapé-Miri entram na etapa final

Do balcão de um pequeno comércio, às margens do rio Igarapé-Miri, o comerciante Cesar Pinheiro, 66, observa atento os avanços na construção da primeira ponte de concreto armado da Rodovia PA-151, no município de Igarapé-Miri, região do Baixo Tocantins. “Isso aqui era um sonho antigo de todos os moradores da região. Só quem já sofreu esperando longas horas por uma balsa sabe o quanto a construção dessa ponte vai trazer mais qualidade de vida para nossa gente”, afirma.
Ansioso pela entrega da obra, o vendedor conversa diariamente com os operários sobre o andamento do projeto e admite que já tem planos para quando a ponte estiver em pleno funcionamento. “Da minha parte estou satisfeito. Apesar de ter que mudar de local de trabalho por conta da diminuição de clientes, já que não vai ter mais grande fluxo na balsa, não considero isso ruim. Pelo contrário, não penso só em mim. Uma ponte dessa é de muita serventia. O meu comércio eu vou remanejar para outra parte da cidade, mas a ponte fica. Ela vai beneficiar um número infinitamente maior de pessoas, inclusive eu que, mesmo doente, em uma ambulância, já tive que esperar horas e horas por uma balsa para ir ao hospital”, relata.
A expectativa do comerciante também é compartilhada pelo motorista Marcos Pinheiro, 39. Funcionário de uma transportadora que faz viagem diariamente entre Belém e Cametá, Marcos garante que já enfrentou mais de duas horas de fila para atravessar o rio. “Estamos esperando isso há muito tempo. Afinal, é uma obra que vai beneficiar não só a mim, mas a todos a pessoas que precisam. Tanto eu, como outros quem vêm de Belém, de Cametá ou de outras cidades da região. Esse projeto vai trazer melhoria a todos’’, afirmou.
Infraestrutura - Orçada em R$ 59.696.768,14 e com 560 metros de extensão, a obra de construção da ponte sobe o rio Igarapé-Miri segue dentro do cronograma planejado. Segundo o engenheiro Erick Rodrigues, os trabalhos estão em estágio avançado. A obra já atingiu 77% do projeto, e a partir dos próximos meses entra na última fase, com a conclusão da laje de concreto. “Atualmente estamos lançando as vigas pré-moldadas, e após essa fase entramos na parte final, que é a etapa de acabamento”, garante o engenheiro.
Erick explica que, como em toda obra de grande estrutura, o projeto de construção da ponte foi dividido em quatro fases: infraestrutura, mesoestrutura, superestrutura e acabamento. “Como a fase de infraestrutura, ou seja, da fundação, como a mesoestrutura, que corresponde à instalação dos blocos, pilares e travessas de apoio já foram concluídas. Passamos agora para o estágio de superestrutura, que inclui o lançamento das vigas. Somente após a conclusão dessa terceira fase é que entramos no estágio de acabamento da obra, que é a construção da laje de concreto e a pavimentação asfáltica da ponte”.
Apesar de passar por algumas reformulações iniciais, o engenheiro afirma que o projeto segue dentro do cronograma planejado. Para garantir o planejamento da obra, prevista para ser entregue julho em deste ano, cerca de 150 homens trabalham em regime revezamento e escalas de feriado. “Sabemos da importância dessa obra. Por isso o nosso maior compromisso é entregar a ponte dentro das perfeitas condições de estrutura e segurança. Além da parte rodoviária, também nos preocupamos com a parte de navegação nos vãos da ponte. Por isso vamos instalar um sistema de dolfins, estruturas de proteção de pilares, para garantir maior resistência e proteção nas colunas de sustentação da ponte’‘, ressalta Erick Rodrigues.
A construção da ponte sobre o rio Igarapé-Miri faz parte da política de integração e infraestrutura do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Transporte (Setran), que até o fim deste ano finaliza a entrega de 36 novas pontes em concreto no Pará. Ao todo, esses projetos somam um investimento de R$ 180 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário