quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Vitor Mateus assume como diretor geral do Hospital Ophir Loyola

O novo diretor geral do Hospital Ophir Loyola, Vitor Manuel Jesus Mateus, foi empossado nesta quarta-feira (21), em cerimônia no auditório do hospital, com a presença da secretária de Saúde Pública, Heloísa Guimarães, e do secretário adjunto, Miguel Alves Junior. Durante a sessão solene foi assinado o termo de posse. O ex-diretor Alberto Ferreira falou sobre o cenário da saúde pública no Brasil, principais desafios na assistência e conquistas na área de ensino e pesquisa à frente do hospital no período que presidiu a instituição.
Segundo Alberto Ferreira, o Hospital Ophir Loyola, depois de um século de existência, é hoje uma instituição segura da missão institucional. “O hospital está ciente dos desafios que a modernização impõe e comprometido em aperfeiçoar a prática médica para a sociedade que o mantém com a contribuição de seus impostos. Hoje, passados os 80 anos do falecimento de Ophir Pinto de Loyola, a infância volta a ser o objetivo principal de luta para dignificar aqueles que nos antecederam e nos trouxeram até os dias atuais, com a construção Hospital Oncológico Pediátrico Otávio Lobo”, disse.
O novo diretor assume uma instituição que consolidou o ensino e a pesquisa com o objetivo de proporcionar uma assistência médica com melhor qualidade. Foi implantado o Comitê de Ética em Pesquisa, reconhecido pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) do Ministério da Saúde, em 2012, e foi elaborado um regimento interno para futura constituição do Conselho Consultivo - órgão colegiado que tem por finalidade aconselhar e fazer recomendações ao conselho diretor do hospital.
“Em vista da escassez de recursos priorizamos o abastecimento do hospital com gêneros alimentícios, materiais técnicos e manutenção do nosso parque tecnológico, assegurando dessa maneira o atendimento com a melhor qualidade possível aos nossos pacientes”, ressaltou Alberto Ferreira, destacando perspectivas para o futuro como a necessidade de elaboração de projeto de Estado com a construção de um moderno centro de oncologia, em área ainda a ser definida para assegurar o tratamento demanda das gerações futuras, no mínimo pelos próximos 30 anos.
Metas – Vitor Mateus falou sobre a análise das dificuldades e problemas enfrentados na assistência aos pacientes. “Há duas prioridades que são fundamentais dentro daquilo que é linha para atuação imediata: uma é estruturação da Unidade de Atendimento Imediato, e a outra é melhorar o atendimento do ambulatório para solucionar a fila, situação esta que já está em fase resolutiva com a Secretaria Municipal de Saúde”, enfatizou.
O novo diretor explicou que, para descentralizar o agendamento e, ao mesmo tempo, ter os pacientes que são egressos do hospital (pacientes oncológicos cadastrados), serão criadas as condições para que eles já saiam do hospital com agendamentos automáticos de consultas e exames. “Já existe uma equipe sendo preparada desde a transição de gestão para atualizar o sistema e fazer a descentralização do agendamento, que garantirá serviços assistenciais como neurologia, urologia e nefrologia para o total estabelecimento de um conjunto de medidas a serem tomadas em cada serviço”, observou.
Segundo o novo gestor, as ações em andamento buscam dar mais agilidade na internação, diminuir as filas e proporcionar melhor acolhimento aos usuários. “Já montamos duas frentes de trabalho, com equipes designadas para atender estas mudanças imediatamente. Por outro lado, estamos alinhados com a Sespa para constituir as diretrizes para a construção do novo plano diretor do Ophir Loyola, que será definido dentro da política estadual de saúde para fortalecer o futuro do hospital para cinco a dez anos”, frisou.
A secretária de Saúde, Heloisa Guimarães, afirmou que para o Hospital Ophir Loyola a ideia é ampliar o acesso da população à saúde, que precisa ser informatizado. “Precisamos acabar com a formação de filas durante o agendamento de consultas e exames. Já conversamos com o novo diretor para que de imediato sejam realocadas essas senhas, para que os portões fiquem abertos 24 horas e possa haver um melhor acolhimento a todos que procuram o hospital”, disse a secretária, destacando que outra meta importante é a ampliação dos serviços de assistência ao câncer para fora do hospital.
“A regionalização da assistência vai possibilitar melhor condição humana e diminuir o impacto social causado pela doença. Dessa maneira, a ampliação do acesso à saúde e a regionalização são as duas grandes metas na Secretaria de Estado de Saúde Pública”, ressaltou Heloísa, informando que já existe um plano de cargos e carreiras na saúde pública, já entregue à Secretaria de Administração, que será votado pela Assembleia Legislativa. Há ainda a previsão de concurso público em 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário