quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Susipe começa a receber denúncias de foragidos pelo WhatsApp

O aplicativo WhatsApp já poderá ser usado pela população, em caráter experimental, para fazer denúncias sobre foragidos do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe) a partir desta sexta-feira (23). A ferramenta ajudará na recaptura de presos e em outras denúncias relacionadas ao sistema prisional. Desde 2006, o Disque Denúncia (181) é uma das ferramentas que aproximam a sociedade do Sistema de Segurança Pública do Pará.
O número 181 tem sido fundamental na solução de crimes com falta de provas, nos quais as testemunhas têm medo de se expor para denunciar, e também no auxílio à polícia na busca por foragidos da Susipe. A ligação é gratuita e o número do telefone não é identificado, o que garante o anonimato do denunciante. Com o WhatsApp da Susipe, a comunidade terá mais uma opção para ajudar a combater a violência, com sigilo garantido.
"Queremos aproveitar a funcionalidade dos smartphones para contar ainda mais com o apoio da população. Outros Estados, como o Piauí, já utilizam o aplicativo WhatsApp como ferramenta no combate à criminalidade. A tecnologia se tornou eficiente porque é possível enviar fotos, áudios e vídeos, o que garante mais precisão quanto às denúncias. A Susipe inova justamente no sentido de contar com a ajuda da população para a recaptura dos foragidos", explicou o tenente coronel Mauro Matos, diretor da Assessoria de Segurança Institucional da Susipe.
O cidadão pode mandar mensagem de texto para o número 98814-1218, a qualquer hora do dia, durante toda a semana. O sistema funciona durante 24 horas pela internet. Todas as denúncias serão repassadas para a equipe da Assessoria de Segurança Institucional da Susipe, responsável pela apuração e investigação dos casos ligados ao sistema prisional.
A divulgação de nomes e fotos de foragidos é realizada pela Susipe pelo site www.susipe.pa.gov.br e de suas mídias sociais (facebook.com/susipepara e @susipepa). Os canais alertam a população sobre a importância de repassar informações sobre a localização dos fugitivos pelo 181 e WhatsApp.
Sigilo - “O novo método de denúncia vai ser muito útil à população. Pelo 181 já recebemos cerca de sete denúncias de foragidos por dia. Com o WhatsApp queremos obter informações mais específicas, através de fotos, áudios e vídeos, e conseguir chegar mais rápido aos fugitivos. Todas as denúncias procedentes serão encaminhadas para o Centro de Operações Integradas (Ciop), além da Polícia Militar, Polícia Civil e Polinter. É importante lembrar que o número serve para fazer qualquer tipo de denúncia envolvendo o sistema prisional, e que a identidade das pessoas será mantida em absoluto sigilo”, ressaltou o diretor Mauro Matos.
Nos últimos dois meses, cerca de 30 foragidos de Justiça foram recapturados com a ajuda da população. O banco de dados de presos fugitivos do sistema prisional paraense está disponível na página da Susipe na internet, no link "Procurados", e é atualizado mensalmente. As fotos dos fugitivos são divulgadas diariamente no Facebook e Twitter. 
Na última saída temporária para as festas de final de ano, dos 1.187 presos liberados provisoriamente em todo o Estado, 100 não retornaram às unidades prisionais ao final do prazo estabelecido pela Justiça, o que representa um índice de fuga de 8,42%. Em 2013, esse índice foi de 14,12%.
“Temos percebido que a população quer ajudar a combater a criminalidade, mas tem medo de por em risco a própria vida. Essas ferramentas são fundamentais para estreitar nosso laço com a comunidade. A maioria das denúncias é verdadeira, e já conseguimos evitar até fugas a partir de informações repassadas pelo Disque Denúncia (181). O WhatApp da Susipe é uma ação pioneira, que vai contar com a ajuda da própria população na garantia da sua segurança de forma mais prática, com o uso da tecnologia”, disse Mauro Matos.
Parceria – Há um ano, a Susipe passou a fazer parte do Ciop para auxiliar no monitoramento dos 393 internos que usam as tornozeleiras eletrônicas, além de prestar informações sobre o banco de dados da população carcerária para os agentes de segurança pública, especificamente policiais civis e militares que atuam no policiamento em todo o Estado.
Em dezembro de 2014, o Sistema Estadual de Segurança Pública e Defesa Social apresentou outro aplicativo, o Ponto Cidadão. O projeto desenvolvido pela equipe técnica da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa) permite que o cidadão informe sobre o atendimento recebido na unidade policial, além de enviar fotos, mensagens e sugestões.
O aplicativo foi desenvolvido para que a população tenha um moderno canal de comunicação com a área de Segurança Pública, a partir do smartphone. O sistema é gratuito, e o usuário só precisa se cadastrar uma única vez para ter acesso aos serviços. Para isso, basta fazer o download e instalar o aplicativo, que já está disponível nas lojas virtuais e nas plataformas IOS e Android.

Nenhum comentário:

Postar um comentário