sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Prodepa quer solucionar demandas dos infocentros do Navegapará

A criação de projetos com base em demandas identificadas no contato direto com as comunidades localizadas no entorno dos infocentros é uma das metas da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa), que iniciou nesta sexta-feira (16) uma série de reuniões com gestores dos infocentros do Programa Navegapará. Já foram visitados o infocentro do Conselho Comunitário do Conjunto Paar (CCCP) e o infocentro do Instituto para Deficientes de Ananindeua (IPDA), na Cidade Nova, com a participação do presidente da Prodepa, Theo Pires. “A ideia é ouvir as reivindicações da comunidade e, com base nesses relatos, alinhar a disponibilidade de serviços para atender suas necessidades”, explicou o presidente.
Os representantes dos infocentros pediram o apoio do Governo do Estado para melhorar a infraestrutura, incluindo melhor acesso à internet, cursos de capacitação e alternativas de renda para as famílias, com a oferta de cursos profissionalizantes. “Precisamos de parcerias. Já formamos mais de mil alunos no curso de informática básica pelo Navegapará”, disse Moacir Ferreira de Melo, presidente do Conselho Comunitário do Paar.
As demandas apresentadas pelos infocentros serão analisadas pela Prodepa, para que as respostas às comunidades venham em forma de soluções. “Pretendemos atender da melhoria maneira possível, e na velocidade que a sociedade precisa, as demandas", adiantou Theo Pires. "O infocentro do Paar está sendo um piloto de um projeto que nasceu de uma conversa com a equipe do blog do Paar em cima de necessidades acessórias”, acrescentou.
Segundo Gleison Monteiro de Macedo, presidente do Instituto para Deficientes de Ananindeua, é preciso oferecer condições para o desenvolvimento das atividades destinadas aos deficientes. “Esta semana veio muita gente atrás do resultado do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Também temos muita procura por criação de currículos e envio de e-mails", informou ele, enfatizando a necessidade de abertura de mais turmas para os cursos de informática.
A Prodepa pretende ouvir todos os gestores dos infocentros, para realizar o diagnóstico da situação em todo o Pará. Uma das propostas é desenvolver um canal de comunicação para que a comunidade informe e proponha novos usos da tecnologia. “Vamos ampliar as visitas técnicas aos infocentros para fazer o levantamento das prioridades e trabalhar para implantar um ponto de acesso livre à internet, nessas comunidades”, antecipou o presidente da Prodepa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário