sábado, 24 de janeiro de 2015

DCM: ESTÁ REABERTA A TEMPORADA DE CAÇA A DIRCEU

O jornalista Paulo Nogueira, editor do Diário do Centro do Mundo, comenta a nova fase da Operação Lava Jato, em que o ex-ministro José Dirceu se torna um dos investigados, em razão dos serviços de consultoria prestados a algumas empreiteiras.
"É impressionante a caça a Dirceu. Quando a mídia deseja fazer uma nova rodada de ataque ao PT, você pode esperar. Lá vem “denúncias” sobre Dirceu. Foram tantos anos de construção pela imprensa de uma imagem de símbolo da corrupção que os donos das empresas de jornalismo sabem que publicar alguma nova história sobre ele vai acender chamas num certo público de estridente e insuperável anafalbetismo político", diz ele.
"Leio, nos porta-vozes dos patrões, que Dirceu não pode ter consultoria. Quer dizer, então: ele não pode trabalhar. Vamos tentar entender. Dirceu não pode ser consultor. Mas pessoas saídas de governos do PSDB podem. FHC colocou na estratégica agência reguladora de petróleo o genro, David Zylbersztayn. Claro que Zylbersztayn era um gênio, e portanto a imprensa não tinha razões para discutir se havia aí nepotismo. Mas, terminado o casamento, acabou a carreira de Zylbersztayn na cúpula da administração do sogro camarada. O que ele foi fazer? Foi ser consultor. De petróleo. Isso pode."
Nogueira aponta dois pesos e duas medidas. "A injustiça no caso de Dirceu é a diferença de tratamento que ele recebe. O que para outros não é notícia nem de rodapé para Dirceu vira manchete."

Nenhum comentário:

Postar um comentário