quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Programa de Redução de Criminalidade é avaliado e apresenta resultados positivos

O Sistema de Segurança Pública e Defesa Social fez nesta quarta-feira (26) a reunião de avaliação mensal do Programa de Redução da Criminalidade (Prec), na sala do alto comando da Polícia Militar, em Belém. A reunião foi presidida pelo secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, e também teve a presença do comandante geral da PM, coronel Daniel Borges Mendes, e do delegado geral de Polícia Civil, Rilmar Firmino de Souza.

O encontro do Prec reúne, mensalmente, em Belém, todos os comandantes regionais da Polícia Militar e superintendentes regionais da Polícia Civil. Ao longo da reunião são avaliados os números dos indicadores da criminalidade (homicídio doloso, latrocínio e roubo). O governador Simão Jatene, que despacha em gabinete no Comando Geral, compareceu  à reunião e falou com os membros do Sistema de Segurança Pública.

“Essa análise permite que os gestores da área de segurança tenham uma visão completa da situação da criminalidade em todas as regiões integradas de segurança pública, as Risps, e isso possibilita a definição das melhores estratégias de enfrentamento ao crime e à violência”, destacou o titular da Segup.

O representante do Grupo Especial de Diagnóstico e Monitoramento (GDM) da Segup, Antônio Farias, apresentou a análise comparativa de crimes violentos (homicídios dolosos, lesão corporal, latrocínio e roubo) registrados no período de janeiro a outubro de 2010/ 2014, no Estado do Pará, Região Metropolitana de Belém (RMB) e Belém. O ano de 2010 foi usado como base para a análise, por ter sido referência para o estabelecimento das metas.

“As metas foram definidas a partir das ocorrências criminais de 2010 e têm como objetivo assegurar a prevenção social da violência e da criminalidade, assim como a redução da impunidade, usando uma gestão contemporânea baseada em resultados, no reaparelhamento policial e na inteligência criminal, além de promover o compartilhamento de ações com a União e com os municípios”, explicou Antônio Farias.

Estatísticas – Conforme a análise apresentada pelo GDM, o homicídio doloso apresentou redução de 11,31% no Índice de Criminalidade (IC). De janeiro a outubro de 2010 foram registrados 2,8 mil homicídios dolosos (IC de 37,03), enquanto que, no mesmo período de 2014, ocorreram 2.652 (IC de 32,84). A lesão corporal apresentou queda de 12,54%, sendo 20.495 registros em 2010 (IC de 271,07) e 19.141 em 2014 (IC de 237,07). No latrocínio houve redução de 28,84%, sendo 197 registros em 2010 (IC de 2,60) e 150 em 2014 (IC de 1,85). No roubo ocorreu diminuição de 8,66%, com 99.296 registros em 2010 (IC de 1.313,33) e 96.850 em 2014 (1.199,54).

Na Região Metropolitana de Belém, o homicídio doloso caiu 27,43%, sendo 1.244 ocorrências em 2010 (IC de 60,95) e 942 em 2014 (IC de 44,23). A lesão corporal apresentou uma redução de 23,36%, com 12.210 registros em 2010 (IC de 598,28) e 9.764 em 2014 (IC de 458,80). O latrocínio foi reduzido em 52,04%, sendo 110 ocorrências em 2010 (IC de 5,38) e 55 em 2014 (IC de 2,58). O roubo apresentou queda de 15,67%, com 78.990 registros em 2010 (IC de 3.870,45) e 69.502 em 2014 (3.263,74).

Na capital, o homicídio doloso apresentou redução de 18,41% no Índice de Criminalidade (IC). De janeiro a outubro de 2010 foram registrados 687 homicídios dolosos (IC de 49,35) na capital, enquanto que, no mesmo período de 2014, ocorreram 577 (IC de 40,26). A lesão corporal apresentou redução de 25,70%, sendo 9.011 registros em 2010 (IC de 647,32) e 6.891 em 2014 (IC de 480,93). No latrocínio houve redução de 54,94%, sendo 61 registros em 2010 (IC de 4,95) e 32 em 2014 (IC de 2,23). No roubo ocorreu redução de 17,46%, com 56.592 registros em 2010 (IC de 4.065,42) e 480.076 em 2014 (3.355,28).

O Projeto Piloto 2013 do Programa de Redução da Criminalidade foi implantado em outubro de 2013, na Região Metropolitana de Belém, visando estabelecer e regular o modelo de gerenciamento para a redução da criminalidade na RMB, a ser operacionalizado pelas instituições diretamente envolvidas no programa (Segup, Polícia Militar e Polícia Civil). Em janeiro de 2014 o programa passou a funcionar em todas as regiões integradas de Segurança Pública do Estado (Risps).

O programa se baseia em metas de redução de crimes (Indicadores de Criminalidade) previamente fixadas e estabelecidas para cada Área Integrada de Segurança Pública (Aisp), com responsabilidade compartilhada pelas Polícias Militar e Civil, por meio das coordenadorias colegiadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário