sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Indicado para Fazenda, Levy descarta pacotes e surpresas

A nova equipe econômica, oficializada nesta quinta-feira (27) pelo palácio do Planalto, assumiu as funções prometendo aumentar a poupança do governo, diminuindo despesas. “A taxa de poupança tem sido baixa no Brasil e o governo dará o exemplo”, disse o indicado para a Fazenda, Joaquim Levy.

Veja perfil de Joaquim Levy

Segundo ele, o objetivo imediato do governo é poupar e defendeu uma meta de superávit primário de no mínimo 2% do Produto Interno Bruto (PIB) para os anos de 2016 e 2017.

Leia mais:Conheça mais sobre Joaquim Levy, novo ministro da Fazenda

Veja o que o mercado diz sobre a nova equipe econômica do governo Dilma

Políticos avaliam anúncio de nova equipe econômica de Dilma

Indicado para Fazenda, Levy descarta pacotes e surpresas

Para Barbosa, contenção de gastos não significa fim da inclusão social

Em entrevista coletiva após o anúncio, Levy disse, no entanto, que não haverá “surpresas” ou “pacotes” de medidas e que as novas ações serão desenhadas junto com a equipe de transição neste mês de dezembro.

“Trata-se de um processo de transição exatamente para a formulação de medidas, de estratégias e não temos pressa”, disse o indicado para o Ministério da Fazenda. Para o indicado,  não há nehuma crise na economia que obrigue medidas de imediato e que o trabalho será para lançar bases de equilíbrio das contas públicas para os próximos anos.

Levy informou ainda que já existem medidas sendo desenhadas para “diminuir despesas” do governo. “São medidas que podem ter seu curso, e temos nossa capacidade de cooperação entre os diversos órgãos. As medidas vão ser graduais, mas sem pacotes, sem grandes surpresas”, disse o ministro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário