quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Governo reforça policiamento e descarta envio da Força Nacional ao Pará

O governo do Estado não solicitou ao governo federal o envio de homens da Força Nacional ao Pará e reforçou, em toda a Região Metropolitana de Belém (RMB), o policiamento e as rondas, especialmente nos bairros onde foram registrados dez crimes na noite de terça-feira (4). As informações foram repassadas pelo titular da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Luiz Fernandes Roha, durante reunião com a Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa do Estado, nesta quarta-feira (5).
Os gestores da área de segurança foram levar informações ao grupo de deputados estaduais sobre os homicídios ocorridos na capital na noite de terça-feira e as providências que foram adotadas pelas autoridades. Estiveram presentes no encontro o secretário Luiz Fernandes, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Daniel Borges Mendes, e delegado geral de Polícia Civil, Rilmar Firmino de Souza, entre outras autoridades.
Luiz Fernandes informou aos parlamentares que um inquérito policial foi instaurado para apurar as mortes do cabo PM Antônio Figueiredo e de mais nove pessoas, em diversos bairros da Grande Belém. Ele disse ainda que, imediatamente após as mortes registradas, a Segup instalou o Gabinete Interinstitucional de Gerenciamento e Negociação, que está acompanhando, 24 horas por dia, todos os casos e a situação da criminalidade na região metropolitana. Integram o gabinete todos os gestores do Sistema de Segurança Pública.
“O que aconteceu não foi um crime comum, foi uma afronta ao estado democrático de direito”, disse o secretário. Ele informou que um grupo formado por oito delegados – incluindo policiais da Divisão de Homicídios, investigadores e escrivães – é responsável pela investigação dos assassinatos ocorridos na capital.
Reforço – O comandante geral da PM tranquilizou os parlamentares sobre a segurança da cidade e falou sobre o impacto negativo que informações falsas veiculadas pela imprensa e nas mídias sociais podem causar. “Nossa preocupação é com a credibilidade e a qualidade das informações divulgadas. A prioridade agora é uma resposta à sociedade”, ressaltou Daniel Mendes.
“Os bairros da Terra Firme e Guamá tiveram o policiamento reforçado durante todo o dia. Foram 50 policiais e dez viaturas adicionados ao efetivo normal. Ao todo estamos com 120 policiais nas ruas, e durante a noite teremos o reforço de mais 30 soldados da Tropa de Choque, que também atuaram durante a madrugada na prevenção de crimes”, explicou em entrevista na tarde desta quarta-feira o comandante do 20º Batalhão da PM, coronel Dilson Júnior.
O delegado geral da Polícia Civil disse que a equipe de policiais responsável pelos inquéritos já tem uma linha de investigação e espera concluir, em pouco tempo, os procedimentos apuratórios, apresentar os responsáveis pelos crimes e dar uma resposta efetiva à população.
A reunião teve a presença de diversos deputados, entre eles o presidente da Assembleia, Márcio Miranda, Edilson Moura, Airton Faleiro, José Megale, Ana Cunha, Nilma Lima e Carlos Bordalo, além do deputado eleito coronel PM Neil Duarte de Souza.Na próxima semana, a convite dos parlamentares, os gestores da área de segurança pública e defesa social vão apresentar detalhes sobre o Plano Estratégico de Segurança Pública do Pará, elaborado pelos técnicos da Segup e que prevê ações para a área até o ano de 2032. (Colaborou o repórter Diego Andrade)

Nenhum comentário:

Postar um comentário