segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Governador do Pará destaca importância de evento da ONU para a Amazônia

O governador Simão Jatene participou na manhã desta segunda-feira (3) da abertura oficial da quarta Assembleia Geral do Comitê Permanente da América Latina para a Prevenção do Crime (Coplad), em Belém. O encontro, que integra as políticas de planejamento da Organização das Nações Unidas (ONU), reuniu representantes de 19 países e diversos especialistas em Segurança Pública, como o ministro da Suprema Corte de Justiça da Argentina, Raúl Zaffaroni; Peter Homel, diretor do Instituto de Criminologia da Austrália, e Johannes Thomas, emissário da Sessão de Justiça do Escritório da ONU sobre Crimes e Drogas.
Antes da plenária inicial, um grupo de músicos da Fundação Carlos Gomes, sob a regência do maestro Amilcar Gomes, apresentou um trecho da ópera Nabucco, de Giuseppe Verdi. Na solenidade de abertura, o ministro da Suprema Corte da Argentina destacou a importância de investimentos em políticas publicas de prevenção para a redução da criminalidade. Segundo ele, os Estados precisam rever os conceitos de sistemas de segurança pública aplicados à sociedade.
“Redução do crime não se faz com repressão. Pelo contrário. Quanto maior a repressão, maior serão os casos de violência. Por isso, precisamos rever urgentemente a atuação do Estado no combate ao crime. Estatísticas da ONU colhidas em todo o mundo mostram que o Estado tem sido o maior causador de homicídios de todos os tempos. E isso é absurdo, inaceitável”, afirmou Raúl Zaffaroni.
Despertar - Para Simão Jatene, a realização do encontro da ONU em Belém destaca as soluções dos conflitos na Amazônia, que precisam ser encarados de forma conjunta entre a sociedade e as diferentes esferas de poder. “Para nós, paraenses e amazônidas, essa reunião tem um grande significado. Trazer debates dessa natureza para uma região que, historicamente, foi e continua sendo tratada como almoxarifado do País, é uma forma de despertar o nosso sentimento de pertencimento a esse local. O Brasil, o mundo e, principalmente, quem vive nessa região, não pode perder jamais a oportunidade de discutir a Amazônia”, afirmou Jatene.
No evento, o governador destacou a atuação do Programa Pro Paz, que desde sua criação tem apresentado resultados positivos no combate à criminalidade. “O Pro Paz é um bom exemplo de uma política pública de redução à violência pautada em prevenção, e não na repressão policial. Os resultados satisfatórios colhidos com esse programa mostram que estamos no caminho certo, encarando segurança pública não como um fato isolado, mas como um problema social que, para ser solucionado, precisa da ajuda de vários órgãos e esferas da sociedade”, ressaltou.
Integrante do Comitê Permanente do Coplad, o professor Edmundo Oliveira avaliou como positiva a vinda desse encontro para Belém. Segundo ele, a realização da Assembleia Geral na capital do Estado é o primeiro passo para a criação de um núcleo do Coplad na região. “Como já foi sinalizado por diversos membros do Comitê, esse encontro é a primeira etapa para a instalação de um comitê do Coplad na Amazônia. Isso significa que, a partir de agora, essas pautas debatidas pela ONU passarão a ser traduzidas para a realidade local, fazendo com que a Amazônia abra definitivamente as portas para políticas efetivas de prevenção ao crime”, ressaltou o professor.
Coplad – Criado em 2014 para atuar como um Programa do Instituto Latino-Americano das Nações Unidas para Prevenção do Crime e Tratamento do Delinquente (Ilanud), o Coplad é responsável por mapear o impacto das organizações criminosas na família e na comunidade.
O principal objetivo da Assembleia Geral do Comitê é analisar e aprovar o relatório do Coplad – documento que será exposto no 13º Congresso das Nações Unidas sobre Prevenção do Crime e Justiça Criminal, marcado para o período de 12 a 19 de abril de 2015, em Doha, no Qatar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário