sábado, 8 de novembro de 2014

Equipe do Governo faz visita técnica às obras do Hospital Oncológico Pediátrico

O Hospital Oncológico Pediátrico, obra do Governo do Estado que está em construção ao lado do Hospital Ophir Loyola, em Belém, recebeu na manhã deste sábado, 8, uma visita técnica realizada pelo governador Simão Jatene; pelo secretário de Estado de Saúde, Hélio Franco; pelo Secretário Especial de Proteção e Desenvolvimento Social, Arthur Lobo, que assumiu a secretaria interinamente durante o mês de novembro e pelo secretário Especial de Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento Sustentável, Vilmos Grunvald.
O objetivo foi verificar o andamento da obra do hospital, que já está em fase final de acabamento. Quando estiver pronto, o novo prédio terá 130 leitos especializados no tratamento do câncer para crianças e jovens.
A equipe percorreu todos os andares do prédio, que será responsável pelo atendimento de crianças e adolescentes até 19 anos que necessitam de tratamento contra o câncer. “Esse é um hospital que é uma necessidade na área da oncologia infantil, que apesar do nome, não se deve pensar apenas em crianças até 12 anos, neste caso cuidaremos de jovens até 19 anos de idade. Um dos serviços essenciais que queremos implantar aqui, a partir do ano que vem, é o transplante de medula óssea. Este é um serviço importante que nós também precisamos implantar no Estado do Pará”, comenta o secretário de saúde, Hélio Franco.
Ainda de acordo com o secretário, a construção deve ser finalizada em dezembro e o prédio deve ser inaugurado ainda este ano. O secretário afirma que este novo centro de tratamento terá capacidade para receber esta demanda. “Teremos aí algo em torno de mil crianças com necessidade de tratamento em termos de internamento, mas também existe o tratamento ambulatorial, acompanhamentos. Dentre os tipos mais comuns deste grupo estão as leucemias e o tratamento é basicamente quimioterápico. Existem também outros tipos que exigem cirurgias, radioterapia, etc", finaliza o secretário.
“Já estamos caminhando para a fase final da entrega do prédio. A estrutura deve ficar pronta este ano ainda. Nossa preocupação não é só com a estrutura, mas também com o ambiente e atendimento que será todo dedicado às crianças. Teremos um solário, salas temáticas, espaços para que as crianças possam brincar, assistir desenhos, além de uma equipe de assistentes sociais e psicólogos que estarão presentes. Precisamos de um período de mais ou menos 30 dias para a instalação dos aparelhos, que já estão em nosso depósito da Sespa, além de treinamento do pessoal”, explica Arthur Lobo, que prevê o início das atividades do hospital para Janeiro de 2015.
Para o governador Simão Jatene, esta é a realização de um sonho para os paraenses. “Um ponto importante é que o Hospital já está em fase de conclusão e eu acredito que este é mais um sonho que se realiza aqui. O padrão deste hospital é um dos mais elevados e a especialidade dele é algo que sensibiliza a todos nós. Porque além de tratar de uma doença que sem dúvida machuca muito a vida das pessoas, este é um espaço relacionado às crianças. Com este hospital nós vamos melhorar a qualidade do atendimento e ainda diminuir a pressão do atendimento que já ocorre no Ophir Loyola”, comenta.
O governador também deixa claro que este hospital será totalmente público, ou seja, estará a serviço de toda a população. “Não posso deixar de dar uma palavra muito firme à sociedade. Eu já disse em outras oportunidades e faço questão de repetir: no Brasil nós ainda temos muita dificuldade de tratar a questão do que é ‘público’. Pois existe uma dificuldade de compreender o ‘pertencimento’ como algo coletivo. A gente acaba entendendo por uma maneira mais fácil a relação de pertencimento como algo particular e individual. A ideia do ‘nosso’ ainda não é uma coisa consolidada na sociedade brasileira e por isso que a ideia de público é confusa no nosso país. Não raramente as pessoas acham que público no Brasil é algo que não tem dono ou algo que é do Estado, do Governo e não da própria sociedade. Este aqui será mais um Hospital Público, no sentido de atender a sociedade sem que ela precise ter um gasto adicional para isso. E quando me refiro ao termo ‘gasto adicional’, eu me refiro ao fato de que todos nós pagamos impostos. Então devemos lembrar que a ideia de público é algo que todos têm o direito de usar e todos têm o dever de cuidar”, esclarece o governador.
Estrutura
Esta será a quarta unidade do Ophir Loyola, que já tem a central, na avenida Magalhães Barata; o Centro Hospitalar Jean Bittar, na Rua Jerônimo Pimentel, no qual são tratadas as patologias benignas, e o Núcleo de Assistência ao Enfermo Egresso (NAEE), que trata dos pacientes que vêm do interior para a capital.
Pensada ainda na primeira gestão do governador Simão Jatene, a construção da nova ala do Hospital Ophir Loyola – destinada especialmente para o público infanto-juvenil – está localizada ao lado do prédio central do hospital, no cruzamento da Travessa 14 de Abril com a Avenida Magalhães Barata.
No local, serão oferecidos mais de 100 novos leitos, distribuídos entre os setores de pediatria e hematologia. Em 2015 será instalado todo o aparato necessário para a realização de transplantes de medula óssea e outros tipos de cirurgia, sobretudo as de tumores ósseos, patologia comum entre os pacientes com câncer dessa faixa etária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário