quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO

BEPE DAMASCO
Se há um dado relevante nas pesquisas do Ibope e do Datafolha sobre a corrida presidencial divulgadas neste final de semana é a confirmação de que a parte considerável do eleitorado que pede mudanças prefere que elas sejam feitas por Dilma

Se há um dado relevante nas pesquisas do Ibope e do Datafolha sobre a corrida presidencial divulgadas neste final de semana é a confirmação de que a parte considerável do eleitorado que pede mudanças prefere que elas sejam feitas por Dilma. Por isso, a intenção de votos na presidenta vem sendo sempre maior do que os índices de aprovação do seu governo. Por isso também, Aécio e Campos se limitam a oscilar dentro da margem de erro. 

De acordo com o Ibope, por exemplo, a presidenta desfruta de imagem melhor do que a do governo que encabeça. Enquanto 39% dos consultados avaliam o governo como bom ou ótimo
(queda de quatro pontos percentuais em relação ao último levantamento, realizada em novembro de 2013), 55% aprovam a forma como a presidenta governa o país, praticamente o mesmo percentual verificado na  pesquisa anterior, que atingiu 56%.

Contudo, nada menos que 41% responderam que desaprovam Dilma. Aposto que um contingente significativo desse universo teve sua visão sobre o governo contaminada pelo massacre diário da verdadeira oposição, o baronato que controla a mídia brasileira. Com uma política de comunicação tão apática, omissa e complascente, não há governo que evite quedas na sua popularidade.

Claro que a blogosfera e as redes sociais fazem um contraponto fundamental. Só que na condição de guerrilha pelejando contra as forças armadas  regulares do PIG. Guerrilheiros também derrotam exércitos, como no Vietnã e em Cuba. Mas só depois que ganham musculatura e força suficientes para enfrentar o inimigo de igual para igual.

Como o governo da presidenta Dilma, lamentavelmente, jogou na lata do lixo o projeto de regulação da radiodifusão elaborado pelo ex-ministro Franklin Martins, não custava a ela e a  seus principais ministros, pelo menos, se somarem aos combatentes virtuais na luta diária contra o todo poderoso aparato de comunicação monopolista.

Não me refiro à utilização frequente das redes sociais pela presidenta e integrantes de seu governo. É forçoso reconhecer que tanto Dilma como o conjunto do governo têm melhorado neste aspecto. Falo do conteúdo político adotado no enfrentamento ao bombardeio diário.

O ataque é pesado. A inflação nunca escapou da meta em 12 anos. Mas o PIG diz que há descontrole inflacionário.Embora a prolongada estiagem preocupe, nunca houve risco de apagão. Mas os "especialistas" a soldo da velha mídia não param de alarmar a população com a escuridão iminente. O desemprego caiu  a ponto de o país viver um quadro de pleno emprego. Mas a desocupação é um fantasma que ronda a família brasileira, segundo Folha, Veja, Estadão e Globo.

A propósito, na semana passada, o IBGE divulgou que a taxa de desemprego de janeiro,4,8%, foi a menor para o mês desde o início da série histórica. E sabe o que fez o portal UOL, da Folha de São Paulo ? Estampou na manchete Aumenta o desemprego em janeiro.

A justificativa para tamanha cara de pau vinha logo no lead da matéria. É que em relação a dezembro, um mês superaquecido devido às contratações temporárias para as festas de fim de ano, o desemprego subira 0,4 ponto percentual. Ou seja, um joguinho sujo para esconder o que realmente importava na pesquisa.

E o governo passou batido, nenhuma resposta à manipulação tão escancarada. Divaguei, então, sobre a resposta adequada a um governo que não tivesse  medo do PIG : 

"Hoje, fiquei de queixo caído ao ler a manchete do site UOL e da Folha de São Paulo, dando conta de que o desemprego subiu, quando, na realidade, desceu aos patamares mais baixos para o mês de janeiro, desde que o IBGE começou a série histórica da pesquisa, em 2002. Isso é uma manipulação das mais grosseiras, que tem o objetivo de desinformar as pessoas. Como não se conformam com as três derrotas seguidas que lhes foram impostas pelo povo brasileiro, vivem a torcer contra o país. Por isso, são incapazes de reconhecer qualquer ação do governo como positiva. E é bom que fique claro : infelizmente, no Brasil, os grandes meios de comunicação funcionam como partido político. Sempre contra os interesses populares." (Presidenta Dilma Rousseff)

Se fizesse desse jeito, duvido que a presidenta fosse desaprovada por 41% dos brasileiros. Mas acordei .Foi apenas um sonho de uma noite de verão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário