terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Gleisi rebate críticas de Campos: “oportunismo”

 

Governador de Pernambuco afirmou neste domingo, sobre as enchentes no Espírito Santo, que "em Brasília ainda é regra esperar o pior acontecer para tomar alguma medida"; ministra da Casa Civil rebateu pelo Twitter: "Lamentável o oportunismo político do gov Eduardo Campos em usar momentos de desgraça para tentar se promover"




Paraná 247 – A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, rebateu nesta segunda-feira 30 as críticas feitas ontem pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), sobre a demora do governo em agir contra as enchentes que assolam o Espírito Santo. "Em Brasília ainda é regra esperar o pior acontecer para tomar alguma medida", escreveu Campos, que é pré-candidato à presidência, em sua página no Facebook.
Pelo Twitter da Casa Civil, a ministra rebateu: "lamentável o oportunismo político do gov Eduardo Campos em usar momentos de desgraça para tentar se promover". Gleisi afirma ainda que "tudo que foi proposto pelo ministério da Integração para agilizar socorro, reconstrução e prevenção a desastres naturais foi encaminhado".
Em sua nota, Campos acusou o governo de não dar atenção a uma Medida Provisória proposta pelo ex-ministro Fernando Bezerra Coelho, de seu partido, que facilitava o acesso de recursos às regiões atingidas pelas chuvas. "Foi preciso que uma tragédia se abatesse sobre o Espírito Santo para que finalmente o processo avançasse", disse o governador.
Gleisi Hoffmann declara também no Twitter outras ações feitas pelo governo federal em combate às enchentes: "implantamos o cartão Defesa Civil, RDC para obras, portaria para adiantar recursos. A proposta da MP Fundo a Fundo foi encaminhada a Casa Civil no início do segundo semestre de 2013". Em seguida, questiona: "Cabe ao governador esclarecer porque 17 mil casas para atender às vitimas da tragédia de 2010 em PE estão atrasadas".
A ministra informa ainda que não foi procurada pelo jornal Folha de S.Paulo para a reportagem publicada nesta segunda-feira com as declarações de Eduardo Campos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário