quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Salão do Livro em Santarém tem cinema, teatro e encontro com escritos nacionais

A partir de amanhã, 1º de novembro, até o dia 10, a cidade de Santarém, no Oeste do Pará, sediará oVI Salão Regional do Livro da Região do Baixo Amazonas, promovido pela Secretaria Especial de Promoção Social e Secretaria de Estado de Cultura (Secult), do governo do Pará, em parceria com a prefeitura local, por meio da Secretaria Municipal de Cultura.
A abertura,  nesta sexta-feira (1º), às 19 h, contará com a apresentação da Filamônica José Agostinho. A visitação será de segunda a sexta-feira, das 9 às 22 h, e,  aos sábados e domingos, das 15 às 23h, no Parque da Cidade, na Avenida Bartolomeu de Gusmão, s/n. A área de exposições terá cerca de 70 estandes, com publicações de 350 editoras, como Paulinas, Paulus, Cortez e Editora Estudos Amazônicos.
Homenagem ao Pará
Nesta edição, o Estado do Pará é o grande homenageado, com base no verso “Eu sou de um país que se chama Pará”, da música Porto Caribe, de autoria de Ruy Paranatinga Barata, compositor, jornalista e escritor, que recebe as homenagens nos eventos literários promovidos pela Secult em 2013, dentro do projeto da XII Feira Pan-Amazônica do Livro.
Na manhã de ontem (30), em Santarém, no auditório do Theatro Victória, durante uma coletiva à imprensa, foram apresentadas as atrações da programação do Salão do Livro. Participaram Andressa Malcher, coordenadora da Feira Pan-Amazônica do Livro; Irene Escher, secretária Municipal de Educação; Nato Aguiar, secretário de Cultura do município, e Dirceu Amoedo, diretor da 5ª Unidade Regional de Ensino (URE), da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).
Andressa Malcher destacou o empenho do governo do Estado de levar o evento literário aos municípios do interior. “Já realizamos em Paragominas (no nordeste paraense), e chegou a vez de Santarém novamente receber o Salão”, disse ela. Segundo a coordenadora, o Salão possui um público variado, que inclui crianças, jovens e adultos, e possibilita acesso ao conhecimento fora da sala de aula, além de valorizar a cultura e a produção literária local.
Acesso ao conhecimento
A secretária Irene Escher destacou que o Salão possibilita a alunos e professores o acesso a conhecimentos gerais e específicos, adquiridos nas salas de aula. “É um universo de conhecimento que vai além das paredes das escolas. O aluno e o professor podem ter contato com diversos títulos, de autores variados. É uma oportunidade ímpar para adquirir conhecimentos”, ressaltou.
Para Dirceu Amoedo, o evento oferece um acervo literário, ao qual o professor não tem acesso no município. “São muitos títulos no mesmo local, o que é bastante difícil de acontecer em nossa região. É uma oportunidade para o professor escolher conhecimento voltado a sua área, e adquirir livros difíceis de encontrarmos nas livrarias locais. O Salão serve para qualificar profissionalmente o professor”, destacou.
O secretário Nato Aguiar ressaltou o esforço do governo do Estado para realizar o evento, e disse que, além da literatura, o VI Salão do Livro possibilita o acesso a atrações musicais e ao teatro. “O Salão valoriza a cultura, pois vamos ter a presença de músicos e cantores pelos corredores do evento, além de uma vasta programação com peças e grupos teatrais”, informou.
Participação de escritores
 Como nas edições anteriores, este ano o Salão vai proporcionar ao público contato com obras de outros escritores regionais e nacionais. Entre os escritores locais na programação do Encontro Literário e na Sessão de Autógrafos estão Maciste Costa, Daniel Leite, Cristovam Sena, Sebastião Tapajós e Efrem Galvão. Entre os convidados de projeção nacional estão Ignácio de Loyola Brandão e Stella Maris Rezende.
A programação inclui ainda o Papo Cabeça - um momento de interação entre jovens e convidados -, para debater temas atuais. Entre os assuntos escolhidos para esta edição estão “A aventura de ler na juventude”, com Stella Maris Rezende; “Privacidade nas mídias sociais”, com Renato Cortez, e “Me erra! Bullying, eu tô fora!”, com Zildinha Sequeira.
Teatro e cinema
O evento vai contar ainda com seminários, mostras de filmes paraenses, apresentações musicais e teatrais, além da apresentação da Companhia de Tijolo, grupo paulista que encenará os espetáculos infantis “Baú de seu Francisco”, livremente inspirado na obra de Chico Buarque de Holanda, e “Cante lá, que eu canto cá”, um sarau literário e musical inspirado nas obras do poeta cearense Antônio Gonçalves da Silva, mais conhecido como Patativa do Assaré.
Outra atração será o seminário “Amazônia no século XXI: desafios e oportunidades”, com a participação da jornalista Úrsula Vidal; do secretário Municipal de Planejamento e Desenvolvimento de Santarém, Valdir Matias Júnior, e de Gabriel Chaves.
Aos educadores serão destinadas várias oficinas, como “Letras Mágicas”, com Stella Mariz Rezende, vencedora do Prêmio Jabuti de melhor livro juvenil de 2012. Para o público infantil haverá a oficina de “Ilustração de livros infantis”, com o escritor e artista plástico Maciste Costa.
Exições de curtas
 O Salão do Livro do Baixo Amazonas terá também uma amostra de curtas e animações. Entre os títulos selecionados estão: “A Festa da Pororoca” e o “Rapto do Menino-Boi”, de Cássio Tavernad; “O Curupira” e “A Piraba” (episódios do programa Catalendas, da TV Cultura); “Nossa Senhora dos Miritis” e “Muragens – Crônicas de Um Muro”, de Andrei Miralha; “Admiriti” e o “Menino Urubu”, de Roberto Ribeiro e Fernando Alves; “Miriti-Miri” e “Visagem”, de Roger Elarrat; “Pássaros Andarilhos” e “Bois Voadores”, de Luiz Arnaldo Campos; “Belém Cidade das Águas” e “Cidades Amazônicas”, de  Jorane Castro; “Mãos de Outubro”, de Vitor Souza Lima; “O Grande Balé Damiana”, de João Loureiro, e “Belém 350 Anos”, Cinejornal de Líbero Luxardo. As sessões acontecerão de 4 a 8 de novembro, às 10h, 12h e 14h30.
Encontros  confirmados
Os Encontros Literários serão mediados pelo escritor paraense Daniel Leite. A programação será de 2 a 10 de novembro, com a participação de Ignácio de Loyola Brandão (SP), Amaury Braga Dantas (Belém-PA), Cristovam Sena (Santarém-PA), Sebastião Tapajós (Santarém-PA), Efrem Galvão (Santarém-PA), padre Sidney Canto (Santarém-PA), Maciste Costa (Belém-PA), Raimundo Pereira Brilhante (Alenquer-PA), Jackeline Lima (Alenquer-PA), Daniel Leite (Belém-PA), Anselmo Colares (Santarém-PA) – este com mediação de Zair Henrique -, Raimundo Câncio (Oriximiná-PA), Annieli Valério (Oriximiná-PA), Stella Maris (RJ) e Guilherme Fiúza (RJ).

Nenhum comentário:

Postar um comentário