quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Emater ajuda agricultores de Augusto Corrêa a acessar programa de habitação rural

O escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Augusto Corrêa, na região do Salgado, está ajudando na habilitação de agricultores tradicionais e pescadores artesanais para o Programa Nacional de Habitação Rural (PNRH), que faz parte do programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal.

Desde junho, 500 Declarações de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), de residentes de 12 comunidades, foram emitidas e encaminhadas à prefeitura, que intermedeia o processo com a Caixa Econômica Federal (CEF). Outros 100 documentos – que resumem coordenadas geográficas das propriedades e perfil socioeconômico das pessoas - devem estar prontos até o fim do ano.

O público beneficiário se encontra abaixo do estabelecido pelo governo federal como “linha da pobreza”, possuindo renda bruta máxima de R$ 15 mil ao ano e atividades voltadas para subsistência. As casas são de taipa, madeira ou plástico: “São condições bem difíceis. Não existe qualidade cotidiana”, diz o chefe do escritório local da Emater, o engenheiro de pesca e mestre em Desenvolvimento em Meio Ambiente, Robson Cabral. Cada família receberá um financiamento de R$ 30,5 mil, para reforma ou construção do imóvel, com subsídio de mais de 90%.

Das 500 famílias já cadastradas no "Minha Casa, Minha Vida", 150 também estão sendo contempladas pelo Brasil Sem Miséria. Com parceria com a Prefeitura, a Emater identificou potenciais produtivos e vem elaborando projetos técnicos e de crédito rural, sobretudo de profissionalização da pesca artesanal, mecanização do beneficiamento da mandioca e artesanato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário